Quitar dívidas: como negociar juros e parcelamento com seus credores

Quitar dividas
5
(5)

Quitar dívidas é um objetivo importante para muitas pessoas, pois pode liberar recursos financeiros e aliviar o estresse causado ​​por débitos pendentes. Entretanto, pode ser um processo desafiador devido ao montante das contas acumuladas.

Mas, com um plano bem elaborado é possível alcançar essa meta de maneira eficiente. Porém, vale dizer que antes de começar a negociar dívidas, é fundamental ter uma visão clara de suas despesas fixas e quais são os recursos que tem disponível para essa finalidade.

Isso porque, sem planejar o pagamento das suas pendências financeiras, você poderá acabar com ainda mais dívidas para quitar. Além disso, sabemos que esse tipo de problema pode tirar a sua paz com preocupações que geram cada vez mais tensões.

Uma pesquisa realizada em 2022 apontou que a angústia para quitar dívidas é algo que afeta diversos aspectos da vida das pessoas.

Desse modo, um dos principais sintomas é a insônia, que segundo a pesquisa afeta 59,1% dos entrevistados. Soma-se a isso, a perda de foco que acomete 54,8% das pessoas, enquanto 20,3% sofrem com o mau humor devido ao problema.

Então, se você faz parte dessa estatística – ou deseja não ser parte dela – acompanhe a leitura de hoje e entenda o que você precisa saber para quitar dívidas e voltar a ter tranquilidade.

Índice:

Primeiro passo para quitar dívidas

Conforme mencionamos, antes de dar início ao processo de quitação de suas pendencias, comece compreendendo seu ponto de partida. Isso significa criar um orçamento detalhado que contemple todas as suas despesas, como:

  • Aluguel ou parcela da casa própria;
  • Condomínio;
  • Despesas com luz e internet;
  • Transporte;
  • Alimentação;
  • Lazer;
  • Educação;
  • Outras contas indispensáveis.

Dessa forma, você terá em mãos um cenário claro e poderá identificar onde pode cortar gastos e usar esses recursos para negociar dívidas. Além disso, caso seja possível, você pode conseguir alguma atividade para gerar uma renda extra exclusiva para atingir seu objetivo de quitar dívidas o quanto antes.

Por fim, seja disciplinado e consistente. Isso porque, negociar dívida, pode levar tempo e exigir persistência e perseverança de sua parte. É importante seguir o orçamento que planejou e se manter comprometido com sua meta de sair de vez do caos do endividamento.

Leia também:

O que é PIB: a métrica da prosperidade econômica nacional

O Imposto de Renda Explicado: Tudo o que você precisa saber

Quais dívidas quitar primeiro

A decisão de quais dívidas quitar primeiro é uma questão pessoal que depende de suas circunstâncias financeiras e objetivos para o momento. Mas, existem algumas dicas gerais que você pode seguir para ajudá-lo nessa priorização.

Nossa sugestão é para que sempre priorize quitar dívidas com juros mais altos, pois quanto mais o tempo passa, maior o problema se torna. Nesse contexto, avalie cada dívida e seu respectivo percentual de juros para identificar os maiores.

Abaixo, vamos destacar as dívidas mais comuns e suas características:

· Dívidas com cartões de crédito

Dívidas com cartões de crédito podem ser especialmente prejudiciais para suas finanças, pois o montante da conta pode aumentar rapidamente.

Negociar dividas
Como negociar dívida.

Se possível, coloque essa dívida do topo das suas prioridades para quitar ou para negociar o parcelamento a fim de bloquear todos os encargos gerados com o atraso de pagamento.

Um lembrete importante é para que você pague sempre mais do que o valor mínimo da fatura. Isso porque, quando você paga somente o valor mínimo, está pagando principalmente juros e muito pouco da sua dívida principal.

· Dívidas com cobranças judiciais

Se você estiver enfrentando uma cobrança judicial – ou ameaças de ação judicial – é importante resolver essas dívidas o mais rapidamente possível. Isso porque, as cobranças judiciais podem afetar seu score de crédito, o que pode tornar mais difícil obter concessões no futuro.

Geralmente, as notificações trazem os referidos dados de contato para que você possa retornar e conversar sobre um possível parcelamento. É importante que você faça isso o mais cedo possível.

· Dívidas de contas atrasadas

Se você estiver atrasado em pagamentos de contas como água, luz ou telefone, é importante olhar para essas pendências com cuidado, pois elas podem levar a cortes de serviços básicos do seu dia a dia, além das cobranças adicionais.

Atualmente, é mais simples negociar dívidas desse tipo, pois a maioria dos fornecedores oferecem planos que facilitam o parcelamento.

· Empréstimos com garantias

Se você tem dívidas com esse perfil, como empréstimos com garantia de carros ou hipotecas, é importante continuar a fazer pagamentos regulares para evitar a perda desses bens.

Afinal, são posses que costumam ter altos valores e é muito comum que tenham sido adquiridas com muito esforço. Além disso, você pode estar colocando em risco outras pessoas que residem com você ou que partilham do uso do carro, por exemplo.

· Dívidas estudantis

Em geral, as dívidas estudantis têm prazos de pagamento mais longos e taxas de juros relativamente baixas. Porém, apesar de serem mais flexíveis, é de suma importância constar na sua programação de pagamentos.

Pode ser que não seja a dívida mais urgente para quitar, mas justamente por ter mais flexibilidade é que pode ser mais simples negociar e parcelar.

· Dívidas com as parcelas do carro

Muitas vezes, quando compramos um carro não esperamos nos deparar com dificuldades para quitar as parcelas mensais. Isso porque, no decorrer dos meses, podem acontecer imprevistos como a perda de emprego, por exemplo.

Se você se ver em uma situação como essa, a melhor opção é entrar em contato com a instituição financeira e renegociar seu contrato. Geralmente, as financiadoras podem propor prorrogação no prazo de pagamento, reduzir as taxas de juros das parcelas em atraso, dentre outras possibilidades.

Sendo assim, o mais importante é não esperar muito para conversar com a instituição financeira, pois você corre o risco de perder o bem e o valor que já foi investido.

· Dívidas com impostos

Negociar dívida envolvendo tributos e outras pendências fiscais pode ser complexo, mas é o tipo de problema que você deve resolver o mais rápido possível. Sendo assim, busque confirmar sua situação tributária junto à Receita Federal ou seu Estado.

Dívida caduca
Negociar dívida com impostos.

A negociação é possível, mas será preciso conversar diretamente com os órgãos da sua região para compreender quais são as alternativas para parcelamento. Além disso, caso disponha do valor á vista, sempre existe a chance de negociar um desconto.

Como negociar juros e parcelas com seus credores

Negociar juros e parcelas pode ser uma ótima maneira de reduzir suas despesas e facilitar para quitar dívidas com maior rapidez. Tenha em mãos uma visão clara da sua capacidade financeira atual, pois isso lhe dará uma base sólida para negociar com seus credores.

Converse honestamente com o gerente de cobrança, explicando que está com dificuldades e gostaria de negociar. Justifique sobre a sua capacidade de pagamento e explique como consegue parcelar. Se você tem outras dívidas, informe como está lidando com elas.

Se você possui várias pendências em um mesmo credor, avalie a possibilidade de uma consolidação de dívidas. Dessa forma, o agrupamento de várias pendências em uma só pode garantir uma taxa de juros mais baixa, parcelas menores e quitar várias dívidas de uma só vez.

Como negociar dívidas com o banco

Entre em contato com o banco, você pode fazer isso por telefone, e-mail, WhatsApp ou visitando uma agência bancária.

No entanto, anote todas as informações sobre as dívidas em questão, incluindo o montante devido, as taxas de juros, as datas de vencimento e quaisquer outros termos e condições que estejam no contrato.

Porém, é importante que você escute atentamente o que o banco tem a dizer e esteja disposto a fazer concessões para chegar a um acordo.

Assim, após uma negociação fechada com o banco, é importante conferir as novas condições, datas de pagamento e outras informações relevantes para quitar dívidas com o banco.

5 motivos para quitar dívidas

Existem várias razões pelas quais é importante pagar suas dívidas, incluindo:

1.    Alívio financeiro

Quitar dívidas pode ajudá-lo a aliviar a pressão financeira que você está sentindo. Quando alguém está endividado, pode se sentir sobrecarregado com esse assunto, o que pode também impactar sua saúde mental e emocional

2.    Melhora no score de crédito

Pagar suas dívidas é um dos fatores mais importantes para determinar seu score de crédito. Quando você quita suas dívidas, pode aumentar sua pontuação de crédito e aumentar sua capacidade de obter empréstimos no futuro.

3.    Redução de juros e cobranças adicionais

Negociar dívida rapidamente pode ajudá-lo a evitar cobranças adicionais e juros sobre juros. Suas dívidas, como cartões de crédito, podem ter taxas de juros elevadas que podem fazer com que o montante vire uma bola de neve – e soterrar suas finanças.

4.    Liberdade financeira

Quitar dívidas contribui para alcançar a tão confortável liberdade financeira. Quando não se tem dívidas, você tem mais flexibilidade para gastar seu dinheiro como quiser.

5.    Redução do estresse

Ter dívidas pode ser tão estressante que pode afetar sua saúde física, mental e emocional. Assim, negociar dívida pode ajudá-lo a se sentir mais confiante e no controle de suas finanças, o que pode reduzir o estresse e melhorar sua qualidade de vida.

Negociar dívida
Como negociar dívida.

FAQ – Perguntas frequentes sobre como quitar dívidas

Qual a melhor forma de quitar dívidas?

Existem várias maneiras de quitar dívidas, e a melhor forma depende da sua situação financeira individual e das dívidas que você tem. Porém, aqui estão dicas gerais que poderão ajudar a priorizar os pagamentos de maneira estratégica.

  • Faça um orçamento: É importante saber quanto dinheiro você tem disponível e quanto dinheiro você precisa para cobrir suas despesas mensais. Isso ajudará a determinar quanto dinheiro você pode destinar para pagar suas dívidas.
  • Priorize suas dívidas: Identifique as dívidas que têm as maiores taxas de juros e concentre seus esforços em pagá-las primeiro. Isso ajudará a evitar que as dívidas acumulem ainda mais juros e se tornem ainda mais difíceis de pagar.
  • Negocie com os credores: Se você está tendo dificuldades para pagar suas dívidas, entre em contato com os credores e explique sua situação. Eles podem estar dispostos a reduzir as taxas de juros ou criar um plano de pagamento que se adapte às suas necessidades.
  • Considere consolidar suas dívidas: Se você tem várias dívidas com altas taxas de juros, pode ser vantajoso consolidá-las em um único empréstimo com uma taxa de juros mais baixa. Isso pode ajudar a reduzir seus pagamentos mensais e simplificar suas finanças.
  • Corte gastos desnecessários: Se você está lutando para pagar suas dívidas, pode ser necessário cortar alguns gastos desnecessários. Isso pode incluir coisas como refeições fora de casa, assinaturas de serviços que você não usa regularmente ou compras impulsivas.
  • Considere a ajuda de um profissional: Lembre-se de que cada situação financeira é única, e se você está tendo dificuldades para gerenciar suas dívidas, pode ser útil procurar a ajuda de um consultor financeiro. Eles podem ajudar a identificar áreas em que você pode economizar dinheiro e desenvolver um plano de pagamento eficaz para suas dívidas.

Onde vou para quitar minhas dívidas?

Para quitar suas dívidas, você tem algumas opções:

  • Negociação direta com os credores: Se você tem dívidas com vários credores, pode entrar em contato com cada um deles para negociar um acordo de pagamento. Isso pode incluir a redução das taxas de juros, a extensão do prazo de pagamento ou a combinação de ambos.
  • Agências de negociação de dívidas: Para quem está enfrentando dificuldades para negociar suas dívidas com os credores, pode considerar contratar uma agência de negociação de dívidas. Essas agências operam em seu nome para negociar acordos de pagamento mais tolerados com os seus credores.
  • Programas de perdão de dívidas: Em alguns casos, você pode ser elegível para participar de um programa de perdão de dívidas, dependendo do tipo de dívida que você tem.

Sempre busque orientações junto a instituição credora. Através da internet é fácil conseguir as informações de contato para receber atendimento.

Tem como juntar todas as dívidas em uma só?

Sim, é possível juntar todas as dívidas em uma só, o que é conhecido como consolidação de dívidas. Essa é uma opção popular para aqueles que têm várias dívidas de cartão de crédito, empréstimos pessoais ou outras dívidas que estão difíceis de gerenciar.

Existem várias opções de consolidação de dívidas disponíveis, incluindo linhas de crédito e programas para agrupar várias dívidas. Cada opção tem suas próprias vantagens e segurança, então é importante avaliar cuidadosamente cada uma delas antes de tomar uma decisão.

Quantos anos a dívida caduca?

A validade de uma dívida ou o período durante o qual a dívida pode ser cobrada, é determinada por uma lei conhecida como “prescrição”. Ela varia de acordo com o tipo de dívida e o local onde você reside.

Em geral, a maioria das dívidas tem uma prescrição de 5 a 10 anos, mas algumas podem ter prazos mais curtos ou até mais longos.

O ideal é verificar sempre no contrato de aquisição da dívida e em caso de dúvidas, consultar a instituição credora. Abaixo, segue alguns exemplos:

  • Dívidas de empréstimo: O prazo de prescrição para dívidas de empréstimo pode variar de 3 a 15 anos;
  • Dívidas fiscais: Este tipo de dívida caduca no prazo de 3 a 10 anos;
  • Dívidas médicas: O prazo de prescrição para dívidas médicas é geralmente de 6 a 10 anos;
  • Dívidas com contas de consumo: O prazo de prescrição para cobrança de dívidas de contas de consumo é de 5 anos a partir da data do vencimento da fatura. Além disso, a concessionária de energia ou água pode suspender o fornecimento do serviço em caso de inadimplência

No entanto, vale ressaltar que a prescrição da dívida não significa que a extinção desaparecerá automaticamente após o prazo específico, e também que a pessoa esteja livre da obrigação de pagá-la. Em vez disso, significa que o credor não pode mais entrar com uma ação judicial para cobrar uma dívida, nem por meio de cobrança extrajudicial. No entanto, o credor ainda pode tentar cobrar a dívida de outras maneiras.

E em alguns casos a prescrição pode ser interrompida se a pessoa reconhecer a dívida ou fizer algum pagamento, o que reinicia o prazo de contagem. Além disso, a dívida pode continuar a constar no histórico de crédito da pessoa, o que pode afetar sua capacidade de obter empréstimos e financiamentos no futuro. Por isso, é importante buscar orientação jurídica caso tenha dúvidas sobre a prescrição de uma dívida.

Quitar dívidas ou guardar dinheiro?

A resposta para essa pergunta depende da situação financeira de cada pessoa. Em geral, é importante equilibrar as duas coisas.

Se você tem dívidas com juros altos, como cartão de crédito ou cheque especial, é melhor priorizar a quitação dessas dívidas o mais rápido possível, pois os juros podem acumular rapidamente e tornar a dívida ainda mais difícil de pagar no futuro.

No entanto, se suas dívidas têm juros mais baixos e você tem uma reserva financeira de emergência suficiente, pode ser melhor direcionar parte do seu dinheiro para investimentos ou poupança a longo prazo.

Uma boa estratégia seria criar um plano de pagamento de dívidas e ao mesmo tempo economizar dinheiro regularmente para construir sua reserva financeira e investir em objetivos de longo prazo.

É importante equilibrar o pagamento das dívidas com a poupança e investimentos a longo prazo para alcançar uma situação financeira saudável e segura.

Quitar dívidas
Dívida caduca?

Conclusão

Em resumo, negociar juros e parcelas com seus credores é fundamental para quitar dívidas de forma eficiente e evitar problemas financeiros futuros. Para isso, é importante que você esteja preparado e tenha uma estratégia clara em mente, incluindo o valor que você pode pagar e um plano para manter os pagamentos em dia.

Além disso, lembre-se de que a negociação não precisa ser uma conversa difícil ou desagradável. Muitos credores estão dispostos a trabalhar com você para encontrar uma solução que seja boa para ambas as partes. Por isso, mantenha uma atitude positiva e esteja aberto a diferentes opções.

Em última análise, o mais importante é agir o mais rápido possível e não deixar a situação se agravar ainda mais. Com um pouco de planejamento e determinação, você pode negociar dívidas com sucesso e dar um passo importante em direção à liberdade financeira.

 

 

O que você achou?

Toque nas estrelas para deixar sua avaliação!

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 5

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Lamentamos que este post não tenha sido útil para você!

Vamos melhorar este post!

Diga-nos, como podemos melhorar este post?

Gostou do Artigo? Compartilhe!

Você sabia que a política monetária tem poder de controlar a inflação e estimular o crescimento econômico do país?
Você tem uma ideia de negócio? Não sabe por onde começar? Não se preocupe! Veja como começar um negócio em 8 passos simples e eficazes
Informações claras e práticas sobre tudo o que você precisa saber para começar a investir em ações com segurança.
O Imposto de Renda descomplicado: conheça as regras, aprenda tudo o que precisa saber para declarar com confiança e garanta uma declaração sem erros.
error: O conteúdo está protegido!!